Concurso, Portal Uai, Belo Horizonte, MG

publicidade

Conheça o perfil das principais bancas organizadoras de concursos

Listamos cinco bancas organizadoras recorrentes em concursos nacionais e que também recebem destaque em seleções do Distrito Federal, são elas: FCC, FGV, Iades, Esaf, Consulplan e Cebraspe

10/04/2018 11:26 | Atualização: 10/04/2018 12:51

Mariana Fernandes

USP/Imagens
Muitos detalhes podem fazer a diferença no processo de preparação para concursos. Conhecer o estilo de cada uma das bancas organizadoras é um ponto fundamental na hora dos estudos. É o que garante o professor de informática do IMP Concursos Deodato Neto.

"Quando o candidato vai fazer uma prova, é extremamente necessário conhecer a banca em detalhes. É bom saber o perfil, a abordagem r a forma de perguntar. Então a principal dica é pegar questões que a banca realizou anteriormente e se preparar com o maior número de questões possíveis. Isso é essencial", aconselha. 

Uma dica para iniciantes que ainda não tem um concurso específico em vista, segundo Neto, é se preparar com o Cebraspe como base. "É uma banca de referência, que muitas outras organizadoras copiam o estilo de questões. Então se você não  sabe por onde começar, estude muito bem a abordagem do Cebraspe. É um ótimo começo", diz.

Aragonê Fernandes, professor  de direito constitucional do Gran Cursos Online, também acredita que estudar bem as bancas organizadoras faz parte da rotina de um bom concurseiro.  "Entender os critérios da avaliação, bem como determinar os temas recorrentes em cada disciplina e resolver provas  recentes da banca organizadora ajudam o candidato a garantir uma preparação mais completa", afirma. 

Para ajudar os candidatos, listamos cinco bancas organizadoras recorrentes em concursos nacionais e que também recebem destaque em seleções do Distrito Federal, são elas: Fundação Carlos Chagas (FCC),  Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), Instituto de Desenvolvimento Americano (Iades), Consulplan, Fundadação Getúlio Vargas (FGV) e a Escola de Administração Fazendária (Esaf). 

Confira as dicas dos professores Aragonê e Deodato:

Arquivo pessoal
Aragonê Fernandes, professor de direito constitucional do Gran Cursos Online
FCC 

FCC trabalha com provas de múltipla escolha que sempre acontecem em dois formatos, ou se pergunta diretamente o conteúdo ou são apresentados problemas e situações que resultam em uma indagação.

É uma banca muito famosa por abordar a letra da lei. Quando se fala em direito , normalmente é "decoreba" mesmo. O nível geralmente tem que ser muito elevado e é necessário tirar boas notas. 

Nível de dificuldade: Mediano e elevado 

Dicas: Fernandes explica que anteriormente nesta banca só se cobrava texto da legislação, no entanto, houve uma evolução de 2016 para cá. Dessa forma, atualmente se cobra muito sobre entendimento sumulado pelos tribunais, como STF e STJ. Dentro do conteúdo em direito os temas mais cobrados estão direito e garantias fundamentais, organizaçao do estado e poder judiciários.

Concursos: Tem tradição de fazer concursos do TRT, TRE e recentemente foi a organizadora do TST.

Cebraspe

Cebraspe adota dois modelos de prova. O primeiro é de múltipla escolha, contendo cinco alternativas. O segundo modelo é de certo e errado, na qual há penalização onde uma questão errada anula uma certa.

Normalmente é a banca mais complexa e a nota de corte é mais baixa, pois o nível das questões é elevado. Porém, é uma banca que avalia muito o conhecimento e explora todos os tópicos do edital. 

Nível de dificuldade: Mediano para elevado ou muito elevado, a depender do cargo.

Dicas: O candidato deve se concentrar na leitura da legislação e muito estudo sobre a jurisprudência. A dica é válida não só para candidatos de nível superior em direito, mas também para os que concorrem a uma vaga de nível médio.

Nesta banca também há uma tendência maior de cobrança em direito e garantias fundamentais e diferentemente da Carlos Chagas, eles gostam de assuntos de poder executivo nas atribuições e responsabilidades do presidente da república. Um tema sempre presente é nacionalidade dos artigos 12 e 13 e a repartição de competências, em especial o artigo 22 da Constituição.

Concursos: STJ, TRF 1ª região e MPU

Iades

Iades tem um perfil oscilante, mas cobra sempre questões de múltipla escolha. É também uma banca mais regionalizada e, de acordo com Neto, costuma apresentar questões confusas e com problemas de formalução. Entretanto, está crescendo e buscando evoluir nas indagações. Ainda não apresenta um padrão de provas, já que cada uma costuma ser diferente da outra. 

Nível de dificuldade: Mediano

Dicas: O Iades cobra muitos conteúdos de direitos e garantias fundamentais, mas a prova tem um mix de questões mais abertos que os demais. Eles são mais genéricos sem cobrança muito específica sobre os temas. 

O candidato deve focar em resolução de provas anteriores e leitura das leis. Jurisprudência aparece em menor amplitude, mas as  perguntas são um pouco confusas. As provas não são tão bem elaboradas como no Cebraspe, por exemplo. 

Concursos: Corpo de Bombeiros Militar do DF, PMDF 

Consulplan

Consulplan deu um salto de qualidade das questões recentemente, segundo Fernandes. Há em alguns casos contratação de outras bancas  para ajudar na realização das questões, fato que explica a melhoria na qualidade das perguntas. 

Dicas: O concurseiro deve buscar realizar questões de concursos recentes, pois os mais antigos não apresentarão a linguagem atual da banca, que passou por mudanças de estilo.

A banca também realiza um mix de questões de modo generalizado, mas dá ênfase ao poder legislativo, judiciário e direitos e garantias fundamentais.

Nível de dificuldade: Elevado

Concursos: Tribunal Regional do RJ, Conselho Federal de Odontologia 

FGV 

FGV tem o perfil de cobrar mais doutrina, diferente das outras bancas. Cobra questões mais complexas e no direito, cobra muito entendimento sumulado e em algumas provas questão de jurisprudência. 

Esta banca também é mais interpretativa. É muito famosa por cobrar mais interpretação de texto. Normalmente a nota de corte é mais alta, pois a dificuldade das questões não é muita. 

Dicas: Além de grande preparação em interpretação de texto, é importante focar na resolução de provas anteriores. O candidato pode procurar provas tanto da FGV e quanto estudar questões da Fundação Carlos Chagas para complementar. São parecidas.

Nível de dificuldade: Elevado 

Concursos: Tribunal de Justiça do Alagoas e MP de Alagoas

Esaf

Esaf apresenta um nível de dificuldade mais elevado entre outras. É também a banca esperada para realizar a organização do concurso da Receita Federal, aguardado para este ano. 

O último concurso que realizou foi o do Ministério da Agricultura e manteve o padrão mais complexto de questões. Costuma organizar poucos certames, geralmente ligados ao governo federal. Por isso, é uma banca muito forte, de nível elevado. Geralmente a nota de corte é média. 

Dicas: As prova apresentam grande cobrança de doutrina e jurisprudência. Outra característica importante é que a Esaf usa pegadinhas que dificultam a compreensão do candidato. É de costume cobrar dispositivos da Constituição não tão cobrados em outras bancas e mudar apenas um trecho do texto para confundir. Isto não mede tanto o conhecimento, porém o candidato necessita de maior atenção. 

As provas são extensas e o conteúdo mais cobrado envolve os direitos e garantias fundamentas. Além disso, também abrange a  teoria da constituição, e a parte final do texto constitucional, ordem econômica e financeira e ordem social.

Nível de dificuldade: Alto

Concursos: Receita Federal